SNPL CONTESTA NOVO MAPA EDUCATIVO E EXIGE COMPENSAÇÕES REMUNERATÓRIAS PARA PROFESSORES

O Sindicato Nacional dos Professores Licenciados (SNPL) não concorda com o novo mapa educativo elaborado pelo Ministério da Educação e da Ciência (MEC) e exige que seja atribuída uma compensação remuneratória a todos os professores que tenham de percorrer, diariamente, distâncias superiores a 70 quilómetros.

No novo mapa educativo, o Governo reduziu para apenas 10 os Quadros de Zona Pedagógica (QZP’s), criando, assim, pelo menos três vastas zonas, onde os professores são obrigados a percorrer mais de 400 quilómetros por dia, a saber: a Z2 (Douro Sul/Vila Real/Bragança) a Z5 (Castelo Branco/Guarda) e a Z8 (Alto Alentejo/Alentejo Central).

O SNPL continua a defender e tudo fará para que isso aconteça, uma divisão em catorze zonas pedagógicas, procedendo-se assim a uma divisão do país mais equitativa e que permitirá beneficiar não só os docentes, como melhorar a qualidade do ensino ministrada aos respetivos educandos.

Além disso, o SNPL está frontalmente contra as bonificações em tempo de serviço que se pretende atribuir aos professores que percorram grandes distâncias, pois essa medida irá criar uma injustiça relativa entre todos os docentes. Em substituição desta medida, o SNPL defende que deve ser criada uma compensação monetária para esses casos, por se afigurar uma medida mais assertiva e justa.

O SNPL fará tudo para que estas reivindicações tenham acolhimento dos órgãos decisores do MEC, na firme convicção de que, só assim, estaremos a contribuir para que a Educação rume à Excelência.

Lisboa, 4 de Abril de 2013

                                                                                 A DIRECÇÃO DO SNPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.