Professores exigem Estatuto especial

A Direção do Sindicato Nacional dos Professores Licenciados (SNPL) espera que a nova conjuntura política, resultante da vontade dos portugueses expressa nas eleições legislativas do passado dia 04 de Outubro de 2015, traga novamente a motivação aos docentes, nomeadamente com a criação de um Estatuto especial, mais ágil que o atual e que lhes dê tempo para se atualizarem e trabalhar com dignidade, qualidade e sabedoria.

Só com um Estatuto que consagre os professores como fazendo parte de um corpo especial da Função Pública será possível resolver os problemas de uma profissão que é verdadeiramente especial, aliás à semelhança do que já acontece com a PSP e com os militares. Se estes garantem a segurança dos cidadãos e do país, os professores têm como grande responsabilidade preparar, através da Educação, o futuro de Portugal.

Os professores estão nas salas de aula porque gostam de ensinar e gostam dos alunos. Porém, os governos anteriores têm demonstrado que querem que os docentes façam tudo menos o mais importante, que é preocuparem-se com os estudantes.

Neste momento, existe uma clara desmotivação dos professores provocada, nomeadamente, pelo congelamento das carreiras e pelas taxas, sobretaxas, aumento de IRS e cortes salariais que têm vindo a suportar. Os professores, nos últimos anos, viram-lhes ser retirados 80% dos seus direitos. O SNPL espera que o quadro político agora formado divida de forma equitativa os esforços e não se olhe apenas para os docentes quando se fala em crise.

O SNPL espera também que se privilegie o diálogo com as estruturas representativas dos professores, uma vez que com o anterior Governo existiam monólogos. Ou seja, o Governo ouvia as reivindicações sindicais, prometia que iria estudar os assuntos e depois fazia o que inicialmente tinha programado. Com esta atitude, retirou aos professores o gosto e a alegria no trabalho, levando muitos deles a cumprir escrupulosamente os horários, algo que, diga-se, nunca foi apanágio dos docentes.

O SNPL entende que a exigência e o rigor no ensino são, na sua essência, valores  profundamente republicanos, estando agora reunidas as condições para se pacificar finalmente a carreira dos professores.

Estamos ao inteiro dispor do Governo para iniciar o mais rapidamente possível os trabalhos tendentes à criação do Estatuto Especial dos Professores que eleve a profissão e dignifique o Ensino em Portugal.

A Direção Nacional

06 de Outubro de 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.