SNPL EXIGE ABERTURA DE MAIS VAGAS E CONSIDERA REUNIÃO COM O GOVERNO POUCO CONCLUSIVA

O Sindicato Nacional dos Professores Licenciados (SNPL) exige que o Governo abra, em breve, mais vagas para os professores contratados ingressarem nos quadros da função pública e considera que os 600 lugares agora abertos devem ser apenas entendidos como o início de um processo que permita o ingresso de todos os docentes com vários anos serviço.

As vagas agora abertas são muito poucas, mas entende o nosso sindicato que este deve ser apenas o princípio da moralização laboral na Educação.

Numa reunião realizada com o Secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, no passado dia 21 de Fevereiro, resultou desde logo para o SNPL que ainda há muito por decidir em relação aos professores e demais Função Pública.
Apesar de tudo, ficou desde logo claro que o Governo pretende fazer o ajustamento do número de trabalhadores através das aposentações.
Mantém, porém, em aberto a possibilidade da rescisão por mútuo acordo.
Em relação à mobilidade especial, o Secretário de Estado foi peremptório em garantir que não concorda com ela e que tudo fará para a eliminar, uma vez que, disse, “não serve nem aos serviços, nem aos funcionários”.
De resto, ficou patente que nada está decidido em relação às políticas remuneratórias e aos horários de trabalho, não existindo neste momento quaisquer propostas. Quanto aos horários zero, o governante apenas referiu que é um problema que tem de ser resolvido, mas não explicou como. Em relação às aposentações, Hélder Rosalino revelou que se trata de um assunto que está sob a responsabilidade da Segurança Social.

Face a este quadro, o SNPL mantém-se numa posição de expectativa, no sentido de perceber se aquilo que o Secretário de Estado garantiu vai ser cumprido, bem como aguarda por propostas concretas em relação às restantes matérias. O SNPL defende que só com professores motivados a Educação poderá rumar à excelência.


24.01.2013

A Direcção do SNPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.